Não se acostume!

By Kerol | Blog

Não se acostume.

Não se acostume ao cheiro de grama molhada.

Só quem enfrentou a seca sabe o que ele significa.

Não se acostume à brisa no seu rosto.

Só quem esteve preso conhece a liberdade que ela simboliza.

Não se acostume. Acostumar-se pode ser perigoso. Pode significar deixar de olhar, com entusiasmo e brilho nos olhos, os tesouros que você sempre teve ao seu lado e simplesmente esqueceu de continuar valorizando.

Pode ser uma pessoa, uma situação ou uma conquista que, de tão “natural”, não recebe as palmas que merece.

Amanda, nossa caçula que amanhã completa 1 ano, aprendeu a andar! Sim. Sem fisioterapia, sem horas de treino em casa, sem uso de órtese. Simplesmente andou.  

Eu, como mãe “típica e atípica” ao mesmo tempo, comemoro, filmo, dou parabéns e reflito comigo mesma: “eu nunca quero me acostumar”.

Passa um filme na cabeça: o que está por trás de “aprender a andar”. O que está por trás da aquisição da marcha. O impacto que isso tem na vida de qualquer pessoa e que nós, neurotípicos, sequer valorizamos.

Fisioterapia. Fonoaudiologia. Terapia Ocupacional. Integração Sensorial. Estimulação Visual. Musicoterapia. Psicomotricidade. Hidroterapia. Equoterapia. As terapias de reabilitação neurológica, meu universo desde 2014, não impactam somente nosso filho Paulo.

Elas impactam nossa maneira de criar nossos filhos mais novos, Matheus e Amanda. Sei o quanto vale cada nova conquista. As terapias me ensinaram, também, que a vida é composta de mil presentes diários, que frequentemente não valorizamos nem agradecemos. Ou a gente se lembrou de agradecer por poder estar aqui, conversando por meio deste texto? Quantas habilidades estão envolvidas nesta comunicação? Leitura, escrita, visão, cognição… Será que algum dia agradeci por tudo isso?

Hoje, então, eu te sugiro: não se acostume. Entusiasme-se. Agradeça. Ame. E valorize “quem” e “o que” você tem na vida.

About the Author

Leave a Comment:

Leave a Comment:

%d blogueiros gostam disto: