É difícil ver um filho sofrer. Mas…

É difícil ver um filho sofrer. Mas… Como tudo na vida, há maneiras de suavizar este tipo de situação, especialmente se aprendemos alguma lição que sirva não só para o momento presente, mas também para a relação “mãe-pai-filho” como um todo.


Amanda, nossa filha mais nova, acaba de completar 2 meses e, junto com a comemoração, vieram também as temidas vacinas dos dois meses! Um monte de picadas na perna e possíveis reações, como dor e febre.

O primeiro dia foi o mais difícil. Olhar para minha filha, ainda tão pequena, se contorcendo e chorando de dor me fez pensar em como nós agimos diante das dores e sofrimentos dos nossos filhos.

A vontade é de poupá-los da dor, claro. Queremos logo acabar com o sofrimento e dizer que está tudo bem. Mas…isso não seria sempre verdadeiro.

A dor faz parte da vida e, em alguns casos, pode até evitar um mal maior (mães e pais de UTI e de crianças especiais sabem bem disso).

Portanto, em vez de poupar os filhos *a todo custo* dos dissabores da vida, vale mais a pena se fazer presente. Estar junto, dar colo, emprestar o ombro e os ouvidos para escutá-los (mesmo que por enquanto a escuta seja dos choros). Assim eles se sentirão mais seguros e confiantes para lidar com suas dores. Saberão que podem contar com o nosso apoio e, assim, terão mais forças em suas próprias lutas.

Tudo isso passou pela minha cabeça esta semana, enquanto eu tentava acalmar minha pequena. Apesar de eu me sentir impotente nesta situação, ainda foi possível pensar: “que bom poder estar junto!” ❤


Você já viveu algo parecido? Mães e pais especiais tendem a ter mais experiência neste tipo de situação… são internações em hospital, cirurgias… Como você lida com momentos assim?

 

Queremos ouvir sua opinião ;-)